Não morra de fome

Confesso! Sempre fiquei impressionada com a maneira como o Salmos 119 descreve a palavra de Deus. Cada vez que lia cada um dos versículos me questionava como uma pessoa poderia dizer tais coisas a respeito da bíblia, como ele poderia falar da palavra daquela maneira, com aquela paixão.

A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os excessivamente.
Salmos 119:167

“Aí Amanda, mas é a palavra de Deus”. Eu sei que é a palavra de Deus, mas não tente me enganar, quantos de nós realmente damos tal valor à palavra? É muito fácil concordar com a linda poesia escrita, o difícil é desenvolver um amor pela palavra de Deus como o de quem a escreveu.. E isso me incomodava tanto que, depois de muito meditar nesse salmo, decidi começar a encarar a bíblia de uma maneira diferente.

Chega de vê-la somente como a palavra de Deus escrita em papel de maneira arcaica, com poemas lindos, várias regras e histórias de gente bacana. Chega de vê-la como as escrituras que sou obrigada a ler se quero me dar bem. Como o livro encantado que abro e, “cabum”, descubro o que devo fazer. Chega de abri-la e ler um versículo rapidinho só pra não ficar com a consciência pesada. Chega de ler por puro interesse de encontrar uma solução mágica para nossos problemas.

Chega de subestimar o seu poder.

Maravilhosos são os teus testemunhos; portanto, a minha alma os guarda.
A entrada das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.
Salmos 119:129,130

Sim! A bíblia é um livro com poemas lindos e excelentes histórias. Ela nos ajuda a resolver nossos problemas e traz resposta para nossos questionamentos e instrução para todas as situações que vivemos. Mas não devemos tê-la unicamente como um artifício para nos beneficiarmos em momentos de necessidade. E sim, como algo indispensável para nossa vida, tal como nosso alimento. Deve ser algo essencial para nós, algo que precisamos todos os dias, sejam eles bons ou ruins.

Seguindo esse pensamento, comecei a agir como se, cada vez que eu abrisse a bíblia para ler, eu fosse como um grande aventureiro que saiu para desbravar terras longínquas a procura de grandes descobertas. Abria a palavra com apenas um questionamento “Papai, o que o Senhor quer me ensinar hoje?”.

Abre tu os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.
Salmos 119:18

Logo, apenas ler a palavra tornou-se pouco. Precisava grifar as partes importantes, fazer relação com outros versículos e histórias, escrever o que aprendia. Comprei vários bloquinhos adesivos, agora poderia anotar tudo. E logo notei que também não bastava apenas estudar os versículos, eu precisava pensar sobre eles e sobre como posso aplicá-los na minha vida, diariamente. “Que tipo de atitudes eu preciso desenvolver para praticá-los?”. Finalmente, eu tinha aprendido o que era meditar na palavra de Deus.

No começo, eu precisava de muita disciplina, pois distrações não faltavam. Qualquer pequena coisa poderia me fazer esquecer o meu momento com a palavra. Mas depois de um tempo, essa prática tornou-se parte da minha rotina, tal como minhas refeições (e quem me conhece sabe que eu faço várias refeições por dia). Atualmente, se eu fico sem meditar nas escrituras sofro até uma certa “crise de abstinência”. Estou em um relacionamento sério com a palavra de Deus.

Ensina-me, ó Senhor, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim.
Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o meu coração.
Salmos 119:33,34

Resultado? Estou começando a entender cada vez melhor esse salmo, pois, a cada novo versículo estudado, eu encontro um novo tesouro. Um novo tesouro nessa terra que sei que eu nunca desbravarei por inteiro, pois cada dia quando eu acordo percebo que ela se renovou completamente.

Compreendi que embora eu viva neste reino, devo continuar vivendo de acordo com os estatutos do meu Reino Original. Mas isso será impossível se eu não conhecê-los. Eu estou aqui, mas sou de lá. E é necessário que diariamente eu me alimente com comida vinda direto do Céu, com a palavra que vem direto de Deus. Do contrário, ficarei desnutrido, debilitado e sem forças para prosseguir manifestando o Reino de Deus na terra.

Sou peregrino na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.
A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.
Salmos 119:19,20

Não seja como uma criança que se nega a comer. O Pai sabe do alimento que precisamos “pra ficar fortinho e crescer”. Chega de birra, já somos bem grandinhos, não precisamos de ninguém pra dar comida na boca. Então, levante e sirva-se! A mesa está posta e você pode se deliciar a vontade.

O povo foi destruído por falta de conhecimento, afirma a palavra. Morreram não por falta de alimento, mas por recusarem se alimentar. Não queira você fazer parte desse povo. Se a palavra de Deus é alimento, não morra de fome. Porque não existe pior maneira de morrer de fome do que esta: morrer de fome sentado à mesa do banquete.

Amandinha Feliciano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s