Derrubando o altar de Baal que existe em nós

Ler: 1 Reis 18:1-40

Um povo considerado teimoso, rebelde, ingrato. Eles eram descendentes daqueles que atravessaram o mar vermelho, que foram protegidos dia e noite pelo Senhor no deserto, que viram alimento vir do céu e água da rocha, daqueles que suas roupas e sapatos não se desgastavam, aqueles que atravessaram o Jordão e derrubaram as muralhas de Jericó. Mas ainda assim, estavam sempre alternando entre servir a Deus ou aos deuses.

E é no meio desse povo que estava Elias, um único profeta do Senhor contra 450 profetas de Baal.

Qual a diferença do contexto em que Elias viveu e o nosso? Ou melhor, há alguma semelhança?

Quem ou o que pode ser considerado o Baal dos nossos dias?

 

Um único profeta, o sacrifício, a água e o fogo:

Um único profeta

O contexto de Elias se assemelha e muito ao nosso contexto.  Muitos são aqueles que hoje, assim como no tempo de Elias, agem em nome de outro “deus” que não seja o Deus verdadeiro.

Mesmo no chamado meio “gospel”, mesmo dentro das igrejas, muitas pessoas desviaram-se do foco e colocaram outro no trono de suas vidas. Talvez não haja uma estátua de Baal na casa delas, mas há outros deuses reinando em suas vidas.

Uns são governados pelo dinheiro, pela vaidade, pelo orgulho, talvez em outros, o que governe seja a fama e os aplausos, ou ainda levantem um altar em seus corações idolatrando pessoas, amigos, o namorado, pastores, líderes ou artistas. E por último, mas não menos ocorrente, muitos são os que se deixam governar pelo seu próprio EU. Vivem somente para satisfazer seus próprios desejos, não se preocupam em agradar a Deus com suas ações, mas querem tirar vantagem e proveito próprio em tudo. Agem e reagem para que sua imagem seja preservada, para que seu nome esteja sempre no topo, para que a sua vontade seja feita.

Imagine a situação de Elias: ele estava sozinho, era só ele contra quatrocentos e cinquenta profetas. Ele era o único que restou servindo ao verdadeiro Deus. Quando em uma situação todos resolvem ir por um caminho, qual a sua reação? Você vai junto porque todos estão indo ou pede orientação para Deus? Quando todos os seus amigos estão agindo errado, quando muitos, até mesmo muitos líderes, estão agindo errado o que você faz? Você age errado também porque é conveniente pra você? Ou você decide se separar, se santificar, não participar, ainda que, para isso, fique sozinho?

Somos seguidores de multidões, de grupos, de clubinhos ou de Cristo? Somos caça recompensas ou adoradores? Somos os que vivem para si mesmo, usando das coisas de Cristo quando necessário, ou os que vivem para Cristo e se permitem ser usados por Ele?

Os profetas de Baal não fizeram cair fogo do céu, porque aquele que eles queriam entronizar e adorar não era o Deus verdadeiro. Toda vez que agimos para entronizar, para exaltar algo ou alguém que não seja Deus, não há como ter fogo no altar. Toda vez que nossas atitudes são baseadas em nossos desejos egoístas, em nosso eu, em querer tirar vantagem para nós mesmos, entronizar nossa imagem, elevar nosso nome e não o de Deus, não há como ter fogo no altar.

 

O sacrifício

No dia 01 de outubro, um jovem entra em uma universidade em Oregon, EUA, e mata cerca de nove pessoas deixando outras feridas. Segundo testemunhas, o atirador as questionava se eram cristãs, se a resposta fosse afirmativa, ele dizia “Bom, porque você é cristão, você vai encontrar Deus em cerca de um segundo'” e lhes metia um tiro na testa.

Assustador? Sim, realmente! Quantos de nós estaríamos preparados para tal situação? Quantos estaríamos prontos para levantar a bandeira de Cristo e não a nossa? Para não negá-lo, ainda que tenhamos que morrer em razão disso?

Pra sua sorte, ou azar, não é necessário que um atirador coloque uma arma em sua cabeça para que você prove que não negará a Cristo, satanás já faz isso, diariamente. Não fique pensando que negamos Jesus só quanto dizemos ao atirador “não sou Cristão, não me mate”.

Cada vez que o reino do nosso Eu, se torna mais importante que o Reino de Deus, nós estamos negando a Cristo. E o Reino de Deus não se limita a seu ministério, ao que você vive dentro da igreja, o Reino de Deus vai muito além, além da forma como você aparenta no culto de domingo, são suas atitudes durante toda a semana, em todas as áreas da sua vida. Porque o reino de Deus não são as paredes do templo de concreto, mas é a vontade Dele sendo estabelecida na sua vida, em você que é templo do Espírito Santo.

Negamos a Cristo cada vez que agimos para agradar nosso Baal, nosso eu, ao invés de agirmos para agradar o nosso Salvador. Quando pessoas te machucam e você tem a chance de se vingar, o inimigo vem com uma arma em sua cabeça e pergunta “você é Cristão?”. Quando você é injustiçado, humilhado e tem a oportunidade de fazer justiça com suas próprias mãos, o inimigo vem, aponta a arma pra sua cabeça e pergunta “você é cristão?”. Quando um amigo está seguindo maus caminhos e você deve confrontá-lo, o inimigo vem, aponta a arma pra sua cabeça e pergunta “você é cristão?”. Quando surge um momento em que você pode tirar vantagem, quando a resposta torta vem na ponta da língua, quando seu desejo parece mais importante, quando a mentira parece a melhor saída, nesses momentos e em muitos outros, o inimigo vem, aponta a arma pra sua cabeça e pergunta “você é cristão?”.

Sabe qual será a sua resposta? A sua atitude! Se decidirmos pelo nosso Baal, e fizermos o que vier a nossa mente, para saciar nossa vontade, nossa sede de vingança, de justiça, nossos próprios anseios, nossa carne diz “não, não sou cristão, por favor, não me mate”.

Mas quando decidimos por aquilo que agrada ao coração de Deus, quando agimos segundo a sua palavra, quando nos preocupamos em que seu Reino seja estabelecido em nossas vidas, ai nós dizemos “sim, sou cristão, pode me matar, realmente minha carne precisa morrer”.

Como Elias pega o novilho que será sacrificado, mata, despedaça e o coloca sobre o altar, da mesma maneira, nossa carne precisa morrer, ser despedaçada e ser posta sobre o altar. Nós somos como sacrifício vivo no altar do Senhor. Nossas vontades egoístas, nosso orgulho, nossa justiça, nossos desejos têm que morrer, eles têm que ser sacrificados no altar.

escolhas-vontade.jpg

 

A água

Livramos-nos do nosso Baal, levantamos a bandeira de Cristo, entregamos nossa vida como sacrifício vivo. O altar está pronto e pensamos “Deus, agora o Senhor pode mandar fogo”.

Ficamos na expectativa, e sabe o que vemos? Cântaros enormes de água sendo despejados sobre o altar. Você entrega sua vida, você se rende, você crê, coloca todos os seus sonhos e planos nas mãos dele, está tudo pronto, você está esperando o fogo e então ‘ÁGUA’. Água fria.

Mas Deus! Eu pedi fogo e o Senhor manda água? O Senhor os deixa jogarem um grande balde de água fria nos meus planos? Deixa-os afogarem meus sonhos e propósitos? Como assim? O Senhor está brincando?

Não, Ele não está brincando. Vamos nos lembrar, qual era a intenção dos profetas de Baal? Entronizar o deus deles, exaltar o deus deles. Por outro lado, a nossa intenção deve ser exaltar o nome do nosso Deus, único e verdadeiro. E sabe por que Ele deixou encharcarem tudo? Pra provar que ele é DEUS. Pra quê prová-lo com algo difícil se Ele é o Deus do impossível?

Queimar apenas um novilho? Não! Ele é o Deus que queima o sacrifício encharcado, o Deus que queima o novilho, a lenha, a terra, as pedras e até faz o fogo lamber a água que estava em volta do altar.

O fogo

Não subestime seu Deus! Ele vai agir, mas no tempo dele e do jeito dele. E tenha certeza, o que Ele vai fazer será muito maior do que o que planejamos. Maiores são Seus planos, muito mais altos são Seus caminhos.

É quando não há mais possibilidade, quando o vale só tem ossos secos, quando o azeite da botija está acabando, quando a chuva cessou, quando o mar está a sua frente, quando o gigante se levanta, quando o corpo já está cheirando mal, quando o sol está quase se pondo, é nesse momento, quando aos olhos humanos está tudo acabado,nesse momento é que o nosso Deus age, é nessa hora que o fogo vem dos céus. Não porque Ele quer te castigar, não porque Deus gosta de brincar com você, não somos marionetes, nós somos filhos. Se isso tudo acontece é para que o nome DELE seja glorificado, para que vejam que há um Deus na sua vida e para que, ao olharem o agir dele por meio de você, as pessoas não tenham outra reação a não ser essa:

“O que vendo todo o povo, caíram sobre os seus rostos, e disseram: Só o Senhor é Deus! Só o Senhor é Deus!” 1 Reis 18:39

Amandinha Feliciano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s